Hematologia

Hematologia

A Hematologia é a especialidade médica que trata das patologias do sangue e dos órgãos hematopoiéticos, como doenças que causam anemia, leucopenia ou leucocitose, plaquetopenia, das leucemias e linfomas, assim como dos distúrbios da coagulação. 

Tais doenças podem ser decorrentes de problemas na medula óssea, órgão do nosso corpo que se localiza no centro dos ossos, e que é responsável pela produção do sangue; ou dos órgãos linfoides, que estão distribuídos pelo nosso corpo, e são os principais responsáveis pela defesa do organismo contra patógenos invasores.

Hematologia -  Exame

 

Hemograma

O hemograma é considerado o exame mais importante para o Hematologista, pois traz informações relevantes sobre o funcionamento da medula óssea e do sistema imunológico.

Nele estão presentes dados sobre as hemácias, os glóbulos vermelhos, que são responsáveis pelo transporte de oxigênio pelo sangue; os leucócitos, os glóbulos brancos, que são nossas células de defesa; e as plaquetas, as células envolvidas no sistema de coagulação.

Anemias

A anemia é o principal motivo de encaminhamento dos pacientes para o Hematologista. A anemia ferropriva, por deficiência de ferro, é a mais comum no mundo, e decorre da falta de ingesta adequada de alimentos contendo ferro, baixa absorção intestinal ou perda sanguínea.

Necessita de investigação adequada para o seu correto diagnóstico e tratamento, sendo mais importante ainda buscar a sua causa. Algumas doenças intestinais, por exemplo, apresentam-se inicialmente como anemia ferropriva, muitas vezes de difícil tratamento.

Anemia megaloblástica é um outro tipo de anemia que pode decorrer da deficiência de vitamina B12 (cianocobalamina) ou de ácido fólico. Pode causar redução de todos os componentes do sangue e, no caso da deficiência grave da vitamina B12, pode até causar redução da força muscular das pernas.

Outra causa importante de anemia são as doenças inflamatórias crônicas, como lúpus eritematoso sistêmico, artrite reumatoide e doença renal crônica. Nesses casos, não existe necessariamente a falta de vitaminas, mas a dificuldade do organismo em absorver o ferro pelo estado inflamatório persistente.

As hemoglobinopatias, outras causas de anemia, também são tratadas pelo Hematologista, como anemia falciforme e talassemias.

Leucopenia e leucocitose

Os leucócitos são as células de defesa do organismo, e são quantificadas no hemograma. Dentre eles existem:

  1. Os neutrófilos: nossos “soldados”, que atacam os microorganismos invasores logo que são identificados pelo sistema imunológico, ou quando são ativados por outras células de defesa;
  2. Os linfócitos: células que ativam os neutrófilos e macrófagos após uma infecção – linfócitos efetores –, ou guardam as informações dos patógenos invasores para uma ação mais rápida caso haja uma futura infecção – linfócitos de memória;
  3. Eosinófilos: são células também de defesa, principalmente contra parasitas, e estão envolvidas em quadros de asma e alergias;
  4. Monócitos: participam da defesa do organismo juntamente com os neutrófilos, e da destruição de hemácias “velhas”, na forma de macrófagos; e
  5. Basófilos: células envolvidas nas reações alérgicas.

A leucopenia, portanto, trata-se da redução do número dos leucócitos, ou seja, de qualquer um destes elementos, mas ocorre principalmente por redução dos neutrófilos (neutropenia) ou linfócitos (linfopenia).

A leucocitose, por sua vez, trata-se da elevação do número dos leucócitos, e também costuma ser por neutrofilia (aumento dos neutrófilos) ou linfocitose (aumento dos linfócitos). Estas condições podem ser provenientes de doenças da medula óssea (como leucemias), dos linfonodos (linfomas) ou de doenças sistêmicas (infecções, doenças inflamatórias crônicas, doenças da tireoide).

Plaquetopenia

Outro importante motivo de encaminhamento para avaliação do Hematologista é a plaquetopenia. Trata-se de uma condição em que o número das plaquetas – partícula celular que faz parte do sistema de coagulação e que tem a função de ajudar a “estancar” os sangramentos – encontra-se reduzido.

Valores abaixo de 50.000/mm³ são considerados mais relevantes, devendo ser imediatamente investigados. Em algumas situações, pacientes com níveis graves de plaquetopenia (< 20.000/mm³) podem apresentar sangramentos espontâneos, como sangramento em gengivas, nariz ou aparecimento de hematomas pelo corpo.

Leucemias e linfomas

As leucemias são doenças da medula óssea em que alguma das células-tronco progenitoras das células sanguíneas sofrem uma alteração genética e se proliferam desordenadamente, caracterizando um tipo de câncer hematológico.

Podem ser agudas ou crônicas e se manifestarem nas mais diversas formas clínicas. Os linfomas, por sua vez, decorrem da proliferação de linfócitos doentes que surgem nos órgãos hematopoiéticos (gânglios e baço).

Existem vários tipos de linfomas, e costumam surgir com aumento dos gânglios e/ou do baço, febre baixa, sudorese intensa e perda de peso. O tratamento das leucemias e dos linfomas é através de quimioterapia.

Distúrbios de coagulação

O sistema de coagulação do nosso organismo envolve as plaquetas e várias substâncias presentes no sangue que tem como papel parar o sangramento quando há lesão em algum órgão do nosso corpo.

O Hematologista investiga, portanto, casos específicos de trombose ou sangramento exacerbado, podendo corresponder a alterações no sistema de coagulação do indivíduo.

Faça um pré-agendamento do seu exame através do nosso site. 

Ou se preferir ligue no número 71 3612-8383

Exames

Tratamentos

Instagram